O que entender sobre impermeabilização na construção civil?

A impermeabilização na construção civil é a ação de vedar ou selar determinadas superfícies de modo a protegê-las contra as infiltrações. Dessa forma, contribui para a maior durabilidade das construções, já que evita o surgimento de mofos, bolores, manchas e destacamento do revestimento interno.

Além disso, se a umidade for em grande escala pode deteriorar toda a estrutura do imóvel. Para tratar a fundo deste assunto, preparamos este post. A seguir, citaremos a importância de vedar as superfícies, apresentaremos os tipos de impermeabilização e os sistemas mais utilizados. Acompanhe!

Qual a importância da impermeabilização?

Conforme já mencionado, a impermeabilização é fundamental para evitar que haja infiltrações em uma obra e precisa ser feita inclusive na fundação. Dessa forma, é necessário que isso conste no planejamento. Ou seja, a impermeabilização é responsável por evitar danos futuros na edificação.

Caso a impermeabilização não seja feita, a aparência será afetada, além de prejudicar a alvenaria e a armadura da construção. Isso coloca em risco todo o imóvel. Estima-se que o custo com a vedação adequada equivale a 2% a 3% do total da obra.

Por sua vez, os reparos necessários caso não haja impermeabilização chegam a 20% do custo total da construção. Dessa forma, a impermeabilização na construção civil representa uma grande economia, além de colaborar com a conservação e a salubridade do ambiente.

Quais os tipos de impermeabilização?

Basicamente, há dois tipos de impermeabilização: rígida e flexível. A rígida não acompanha a estrutura; dessa forma, deve ser utilizada em superfícies que não sofram com a variação de temperatura, com o movimento do solo ou que sejam suscetíveis a fissuras e trincas.

Ou seja, sua aplicação se restringe a locais com estabilidade, como, por exemplo: vigas de baldrames, poços de elevador, subsolos e piscinas enterradas. Para esse tipo de vedação, aditivos químicos são adicionados e misturados ao cimento ou argamassa.

Já, a impermeabilização flexível consegue se alongar e absorver a fissuração, acompanhando a estrutura. Desse modo, é indicada para áreas expostas às mudanças climáticas e que, por esse motivo, podem sofrer com trincas, infiltrações e umidade.

Assim, a impermeabilização flexível consiste em materiais ou produtos aplicáveis na superfície a ser vedada. Podem ser moldados no local formando membranas ou serem pré-fabricados, como é o caso das mantas e lonas.

Quais os sistemas de impermeabilização na construção civil?

Os sistemas se referem à técnica utilizada para impermeabilizar um local. Ela depende, basicamente, da superfície a ser selada. Sendo assim, temos os seguintes sistemas:

  • argamassa: aditivos químicos e polímeros são acrescentados ao cimento e agregados, formando um excelente revestimento impermeável. É ideal para subsolos, reservatórios de água, piscinas, poços de elevadores, rodapés;
  • calafetador: usa-se um produto com propriedades seladoras para preencher caixilhos, juntas e elementos em geral, além de trincas e fissuras;
  • emulsão acrílica: a base acrílica com elastômero forma uma membrana líquida excelente para selar marquises, paredes, coberturas e lajes;
  • emulsão asfáltica: trata-se de um monocomponente aplicado a frio e que requer proteção mecânica. É utilizado em lajes, terraços e áreas frias;
  • hidrorrepelente ou hidrofugante: é um material que repele a água, mantendo a superfície completamente seca. Por não alterar a aparência do local onde é aplicado, pode ser usado em fachadas de pedras, concreto, tijolos, telhas;
  • manta asfáltica: é um tipo modificado de asfalto, sendo composto por polímeros e tem função estruturante. Assim, é recomendado para lajes inclinadas e planas, e também áreas úmidas ou molhadas;
  • lona: por ser fabricada em material que a água e umidade não conseguem atravessar, são perfeitas para vigas de baldrames, contrapisos, lajes.

Portanto, a impermeabilização na construção civil é essencial para conservar a edificação e evitar as chamadas patologias como mofos e fungos. Além disso, para evitar prejuízos na obra, é preciso atentar para a norma da ABNT contra a passagem de fluidos, bem como os requisitos de segurança, garantia, salubridade e estanquidade das partes construtivas.

Gostou deste post? Então aproveite a visita no blog e saiba que a lona não é utilizada somente para a impermeabilização. Não deixe de ler nosso artigo sobre as vantagens da lona na construção civil.

Siga nossas redes Sociais

Confira Também

Sensemaking – Capítulo I

O mesmo tempo que existia na Idade Média existe agora. As mesmas 24 horas que a Natura e a Apple tem, sua empresa tem. Então

A história do Ibama e suas missões

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa

Abrir bate-papo
Fale com a gente!