Como deve ser a mistura de silagem para gado leiteiro?

Certamente, podemos afirmar que a silagem para gado leiteiro é uma forma de alimentação que vem sendo priorizada nas fazendas. Isso ocorre devido à praticidade que ela proporciona em guardar a comida dos animais, tendo um baixo índice de perda dos nutrientes essenciais para o gado, além da economia com rações do mercado.

Falando em silagem de qualidade, nosso texto abordará algumas opções de mistura que podem ser usadas, evidenciando suas prioridades nutricionais e as vantagens em usá-las. Se você quer estar mais bem informado sobre o assunto, não deixe de acompanhar as próximas dicas!

Entenda o processo de silagem para gado leiteiro

Todo sistema que visa a alimentação do gado em lactação precisa ser implementado respeitando os níveis de produção em que o animal se encontra, como estágio da lactação, a idade da vaca, o consumo esperado da silagem e quantas vezes o animal já entrou no período de produção do leite.

Quando uma vaca entra nesse estágio, nas suas duas primeiras lactações, a silagem para gado leiteiro deve alimentá-la além da mistura de qualidade — que antes foi armazenada em silos —, fornecendo uma quantidade maior que o comum. Isso ocorre pois essa vaca encontra-se em estágio de crescimento, com altíssimas necessidades nutricionais.

Para essa situação, é recomendado que o produtor abasteça o gado que está dando a primeira cria com a quantia extra de 20% da silagem natural para esse grupo e 10% para aquelas que estão dando bezerrinhos à luz pela sua segunda vez na vida.

Na hora da alimentação, separe as vacas primíparas — nome usado para se referir às vacas ou novilhas após o primeiro parto — das mais velhas. Assim, você nutrirá cada animal de acordo com sua necessidade nutricional, evitando a dominância por território das vacas leiteiras mais velhas.

Faça o fornecimento de concentrado

O fornecimento de concentrado é um dos tipos de boa silagem em uma dieta bovina. O ideal para as vacas é que ele seja a base de proteína pura e nutrientes digestíveis totais. Pode ser preparado com uma simples mistura de milho moído, farelo de soja, calcário e sal mineral, podendo-se introduzir também a soja em grão moída ou caroço de algodão.

As vacas consideradas de alta produção, que ficam livres no pasto ou até mesmo em algum tipo de confinamento com produções diárias entre 28 e 30 litros de leite, precisam ser abastecidas com concentrados que contêm proteína de baixa degradabilidade no rúmen. Entre essas proteínas, podemos encontrar a farinha do peixe, o farelo de algodão e a soja em grão moída.

Vacas que conseguem produzir acima dos 40 litros de leite por dia, além da fonte de gordura, como soja em grão moída e o caroço de algodão, devem receber gordura protegida. Dessa forma, consegue-se elevar o teor da gordura da dieta total para entre 7% e 8%.

A quantidade de gordura produzida no leite deve ser semelhante à consumida na dieta, diariamente.

Entenda como funciona a dieta completa

Dieta completa nada mais é que a mistura de alguns volumosos. Entre eles, temos a silagem, o feno e o capim-verde picado. A mistura de todos esses ingredientes é feita em um vagão de misturador próprio para isso — contendo inclusive, uma balança para pesar os ingredientes.

Entre algumas vantagens, podemos citar  o benefício de que, por ser muito usado em áreas de confinamento, evita que as vacas consumam quantidades superiores à estipulada, segundo seu estágio de vida. Ao ingerir uma quantidade muito grande de concentrado de uma só vez, a vaca leiteira pode até mesmo sofrer com o problema de acidose.

É válido lembrar que, para que esse tipo de contratempo não aconteça com o rebanho, é sugerida a inclusão de 0,8% a 1% de bicarbonato de sódio e 0,5% de óxido de magnésio na dieta total, diminuindo consideravelmente a probabilidade de acidose nos animais que estão em confinamento.

Na parte da matéria seca, o melhor teor é que ela fique entre 50% e 75%. Rações que variam — tanto para mais quanto para menos — dessa porcentagem podem limitar a ingestão da silagem para gado leiteiro. Vale ressaltar que o conselho é fazer o acompanhamento da umidade da silagem semanalmente, se assim for possível.

Para reduzir a mão de obra na mistura de diferentes formulações para cada grupo de vacas, é também aconselhável que se crie uma dieta completa com alto teor energético e nutricional, para que atenda o maior grupo de animais. Se possível, deve ser implementada a fórmula mais aconselhável para cada grupo específico.

E vale ressaltar um perigo que pode vir da alimentação. É preciso cuidado com o mofo e bolor que podem ser produzidos nos restos do material que ficou acumulado no fundo do cocho. Sem esse procedimento simples e de vital importância, é possível até que o animal tenha problemas de saúde na ingestão da silagem e venha a óbito.

Mistura da alimentação no período seco

É o período que está entre a secagem e antecede o próximo parto. Normalmente, nos rebanhos, a sua duração é de 60 dias. O suprimento de nutrientes nessa fase é fundamental. Porém, é importante cuidar do risco de a vaca ganhar muito peso, para diminuir a probabilidade de problemas na hora do parto e no período de lactação.

Nas duas primeiras semanas que antecedem o parto, é necessário iniciar o fornecimento do concentrado formulado à base de milho moído, farelo de soja e calcário em pequenas quantidades, para que o animal se adapte às dietas que vai ganhar após o parto.

Forneça água de qualidade para o rebanho

Toda vaca que está no seu período de amamentação requer uma quantidade muito grande de água. Você sabia que o leite é composto de até 88% de água? Quem faz a verificação do horário de tomar água é o próprio animal. Mantenha o líquido a sua disposição em local fresco e arejado, próximo aos cochos.

Normalmente, as vacas chegam a consumir 8,5 litros de água para cada 1 litro de leite produzido. Incrível, não? A qualidade da água também deve ser analisada. Vale lembrar que é indicado que ela esteja clorada. O nível correto de cloro, respeitando procedimentos-padrão, não afetará o processo nutricional de fermentação da silagem.

O importante para cada processo aqui detalhado é o acompanhamento de perto do produtor e do técnico em agropecuária. Tomar os devidos cuidados com a qualidade da silagem fornecida para gado leiteiro é vital para o sucesso do empresário rural. Além disso, o leite de origem nacional é consumido no exterior, ajudando a agropecuária nacional ser valorizada internacionalmente.

E aí, gostou do texto explicando a importância da silagem para gado leiteiro? Então não deixe de assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de tudo sobre silagem e derivados.

Siga nossas redes Sociais

Confira Também

Sensemaking – Capítulo I

O mesmo tempo que existia na Idade Média existe agora. As mesmas 24 horas que a Natura e a Apple tem, sua empresa tem. Então

A história do Ibama e suas missões

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa

ESG – a bússola

Em 2004, o então Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, convidou mais de 50 CEOs de instituições financeiras a apoiarem o Pacto Global da ONU e

Abrir bate-papo
Fale com a gente!