As 10 competências do empreendedor de sucesso

Durante dois anos o Dr. McClelland – professor da Universidade de Harvard – realizou uma experiência com mais de 200 empreendedores de todos os cantos do mundo. E com essa pesquisa conseguiu identificar três pontos em comum entre eles:

  1. Não tinham nenhum nível de escolaridade;
  2. Todos “quebraram” em média três vezes;
  3. Os de sucesso tinham os mesmos comportamentos.

O pesquisador concluiu que todos eles praticavam em alto grau a ousadia em suas ações justamente por não terem conhecimento técnico ou teórico, e por isso se sentiriam mais encorajados em experimentar e tentar algo novo sem o receio de que, em teoria, poderia não funcionar.

Portanto mais importante que ter ou não ter formação técnica ou acadêmica é observar se você está ou não está ousando e inovando.

Em relação às “quebras”, o professor chegou a conclusão de que o empreendedor de sucesso não se sente atingido pessoalmente, compreende que houve algo malfeito e o que deve ser aprendido para não ser repetido.

O empreendedor de sucesso não perde tempo procurando culpados, aprende com os erros.

Eis os 10 mandamentos para empreender com segurança rumo ao sucesso que foram as conclusões mais importante da pesquisa do Dr. McClelland:

  1. Estabelecimento de metas
  2. Planejamento e monitoramento sistemático
  3. Busca de informações
  4. Iniciativa e radar ligado para oportunidades
  5. Correr riscos mas calculados
  6. Exigência de qualidade e eficiência
  7. Comprometimento
  8. Persistência
  9. Poder de persuasão e rede de contatos
  10. Independência e autoconfiança

Networking: método para potencializar contatos

Atualmente muito se fala sobre a importância de se ter uma rede de contatos mas pouco se fala em como construir um networking e, principalmente, o que fazer para que essa rede traga resultados tangíveis.

Um ótimo modo de começar é listar 50 contatos de sua agenda telefônica ou e mail; priorize as pessoas que você considera serem potenciais clientes ou parceiros; o próximo passo é estabelecer uma tática para abordar cada uma delas, observando as características de cada uma e seu grau de intimidade com cada contato.

Agora é hora de ampliar seu networking. Veja abaixo quais são as principais ações:

  • Defina os objetivos
  • Participe de eventos
  • Identifique o perfil de pessoas que você quer na sua rede
  • Construa uma ponte com esses contatos.

Encontros, treinamentos e workshops são ótimas oportunidades para incrementar sua rede de contatos, mas para ser eficaz você vai precisar se preparar e agir apoiado por estratégias claras e bem definidas, a tática que vai usar precisar estar lastreada num plano.

Chegar cedo num evento e ser um dos últimos a ir embora; e durante estabeleça o maior número possível de contatos, seja cordial e gentil, ouça mais do que fale e procure ser proativo.

Ao proceder desse modo no maior número possível de eventos certamente se surpreenderá com os resultados. A grande pergunta para saber se o que está fazendo está gerando negócios e receita é: “quantos prospects consegui com minha tática nos últimos seis meses?”

Liderança: fator crítico para o sucesso

Quando a empresa é conduzida por um líder competente as chances de resultados excelentes cresce exponencialmente. No entanto liderar um negócio não é tarefa fácil, especialmente nesses tempos de mudanças e incertezas constantes.

As 10 chaves da boa liderança

A primeira prática chave é definir com clareza a visão da empresa. O líder precisa ter em mente e com total convicção os objetivos e metas e saber comunicar esses vetores para a equipe.

A direção bem definida vai ajudar a inspirar o time e a orientar o trabalho de cada um, como num barco com vários remadores, cada um colaborando com sua força pelos resultados da equipe e todos “remando” na mesma direção.

Além disso é fundamental estabelecer metas possíveis e  alcançáveis, para não haver o risco de desmotivação e frustração no caso do estabelecimento de objetivos irreais e inverossímeis.

A segunda prática chave para liderança de empresas é saber montar uma equipe forte e competente. Sem um time qualificado é quase improvável que mesmo uma liderança forte prospere. Portanto a captação e identificação de talentos é um funil fundamental. Treinar e capacitar os membros da equipe faz parte do processo de amadurecimento e qualificação do time. Equipe forte é composta por profissionais e especialistas que trabalham em harmonia uns com os outros e compartilham os valores que são caros à empresa.

A terceira prática é promover uma comunicação aberta e de mão dupla. O líder precisa estabelecer sinergia com seus comandados e se comunicar regularmente com eles para garantir que estejam todos alinhados e cooperando entre si. E é de mão dupla pois o líder precisa ouvir seus colaboradores pois só assim vai estar atualizado em relação ao estado de ânimo e motivação, além da assertividade de seus comandados. A comunicação e interação aberta e franca ajuda a construir confiança e respeito entre todos.

A quarta prática chave da liderança é estimular a criatividade que vai gerar inovação; isso significa dar liberdade para que os membro exercitem a experimentação com riscos calculados, novas ideias e abordagens. Inovar é um dos requisitos fundamentais das empresas na era do marketing 4.0 e da IA Generativa.

A quinta prática para o líder é exercer sua missão com ética e responsabilidade. Demonstrar integridade, dar o bom exemplo e assim ser a referência de toda a equipe, sua fonte de inspiração e motivação. O resultado é um time sempre em movimento positivo no caminho do aperfeiçoamento individual e coletivo.

A sexta prática do líder é incentivar o desenvolvimento pessoal e profissional de seus comandados. Para isso o líder necessita estar ao lado da equipe durante a execução das tarefas e dos desafios para enxergar oportunidades de alavancar a performance de cada um da equipe através de cursos de aperfeiçoamento e incremento técnico e pessoal.

A sétima prática é manter uma abordagem colaborativa. O líder nato está sempre ao lado da equipe para resolver problemas ou tomar decisões fundamentais. Para isso é preciso ser um exímio observador e ouvidor para absorver as perspectivas do time e assim dirigir ou mesmo corrigir rumos sempre em busca das metas e objetivos da empresa.

Em resumo, liderar uma empresa ou projeto é uma tarefa complexa que requer muitas habilidades diferentes. Definição clara da visão, metas e objetivos do negócio, montar uma equipe competente e motivada, promover comunicação fluida e sem obstáculos, incentivar a criatividade e consequentemente a inovação, ser um líder ético, honesto e justo, incentivar e promover o desenvolvimento pessoal e profissional dos colaboradores, exercer abordagem colaborativa e estar disposto a mudar e a se adaptar sempre que for necessário.

Texto adaptado para o blog Lonax sob autorização da autora. Paola Catanduva tem 30 anos de experiência como empreendedora e formação em administração de empresas pela FGV. Coach de negócios, palestrante, professora do SEBRAE e da Fundação Dom Cabral além de instrutora do Empretec; foi indicada e finalista dos prêmios Woman Business Award 2008 (ONU/UNCTAD) e Mulher de Negócio 2009 (SEBRAE).

Siga nossas redes Sociais

Confira Também

Sensemaking – Capítulo I

O mesmo tempo que existia na Idade Média existe agora. As mesmas 24 horas que a Natura e a Apple tem, sua empresa tem. Então

A história do Ibama e suas missões

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa

ESG – a bússola

Em 2004, o então Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, convidou mais de 50 CEOs de instituições financeiras a apoiarem o Pacto Global da ONU e

Abrir bate-papo
Fale com a gente!