Safra do cacau: 6 práticas para produção, manejo e colheita

Com uma produção anual de, aproximadamente, 250 mil toneladas, o Brasil é o 7° maior produtor de cacau do mundo. E esse valor tende a subir. Afinal, de acordo com a Comissão Executiva do Plano de Lavoura Cacaueira (Ceplac), a meta é aumentar a produção em 60 mil toneladas até 2025. Isso significa que investir no setor é uma excelente oportunidade de negócio.

Mas, para isso, é preciso adotar as melhores práticas relacionadas à safra do cacau, desde sua produção até a colheita e secagem. Para que você não tenha dúvidas sobre o processo, listamos as 6 principais práticas. A seguir, confira em detalhes cada uma delas.

1. Conheça os tipos de cacaueiros

Um dos principais pontos que merecem sua atenção é definir qual espécie de cacau você pretende cultivar. Os tipos de cacaueiros são os seguintes:

·    criollo — produz frutos considerados mais nobres do mercado, com amêndoas grandes, claras e com sabor pouco amargo. Porém, é bastante sensível a doenças e apresenta baixa produtividade;

·    forastero — é o tipo mais comum e representa cerca de 80% da produção mundial, pois é o mais resistente a pragas e doenças. As amêndoas são achatadas, com média acidez e frutos na cor violeta;

·    trinitário — é resultado do cruzamento das duas variedades anteriores e produz frutos de excelente qualidade.

2. Saiba quando é a safra de cacau

Outro fator extremamente importante que você deve entender é a época de safra do cacau. Somente dessa forma é possível programar sua produção. A safra principal ocorre entre outubro e início de dezembro. Em alguns lugares, como o Sul da Bahia, há outra safra, chamada temporão, que acontece entre maio e setembro.

3. Atente às condições ideais

Como toda lavoura, a produção de cacau também exige as condições ideais para se desenvolver bem e, assim, garantir uma boa safra, ótima produtividade e rentabilidade.

O cacaueiro produz muitos frutos em regiões de clima quente, como no Nordeste do Brasil. Assim, a temperatura ideal de produção deve ser entre 23 °C e 25 °C e com índice pluviométrico em torno de 1250 milímetros por ano.

Além disso, a plantação deve receber uma boa insolação durante a maior parte do dia. As árvores exigem solo fresco, úmido, rico em matéria orgânica e com pH básico.

4. Descubra como deve ser o plantio

O plantio pode ser feito de duas maneiras: semeadura ou mudas. A escolha deve ser feita com base na disponibilidade em cada região. De todo modo, é essencial buscar um fornecedor de qualidade e com experiência no mercado.

Com relação ao espaçamento, pode ser feito com 3,5 x 2,5 metros ou 3,5 x 3 metros.

5. Veja como a colheita deve ser feita

Como os frutos amadurecem em momentos diferentes, não é possível realizar uma colheita mecanizada. Logo, deve ser feita manualmente, com o uso de facão ou faca específicos. No entanto, é preciso ter muito cuidado. Afinal, onde um fruto cresceu é onde acontecerá a nova floração. Ou seja, se, ao colher o fruto, houver uma lesão com o facão nessa região, a árvore poderá não produzir novamente.

6. Opte pela secagem em estufa

Depois da colheita, é feita a separação do fruto e da semente. Em seguida, há a fermentação do cacau, feita em caixas de madeira. Depois desse processo, é hora de fazer a secagem das sementes. Esse passo é fundamental para o sabor.

Por conta do ciclo de produção, é normal haver muitas chuvas durante a época em que a secagem deve ser feita. Por isso, a solução é utilizar estufas com lona transparente. Trata-se de um processo com o melhor custo-benefício e que mantém a qualidade do cacau, garantindo que ele seja vendido com preços ótimos no mercado.

Gostou de saber mais sobre a safra do cacau? Considerando que a qualidade do fruto é decisiva para obter os melhores preços, é essencial que você adote as melhores práticas para sua produção, desde o manejo até o armazenamento. Por isso, não deixe de seguir as dicas deste post para garantir uma excelente produtividade.

Quer saber mais sobre o mundo do agronegócio? Então, curta a página da Lonax no Facebook e acompanhe nossas publicações!

Siga nossas redes Sociais

Confira Também

A origem da Tambasa graças ao seu Miguel

O artigo “A origem da Tambasa graças ao seu Miguel” mergulha profundamente na fascinante trajetória da Tambasa, uma empresa que se destaca por suas raízes