8 TENDÊNCIAS EM REFORMAS DE CASAS QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

7 minutos para ler

Assim como a moda, a construção tem suas tendências. Revestimentos, iluminação e decoração, por exemplo, seguem novidades e estilos que transformam o ambiente, tornando-o mais moderno, aconchegante, clássico ou com o estilo que o dono da casa desejar.

Mas você conhece as tendências arquitetônicas mais recentes? Preparamos uma lista com 8 inspirações e referências para reformas de casas. Continue a leitura e confira!

1. Revestimentos conceituais

Seja na parede ou no piso, o revestimento é fundamental para deixar a casa com aquele toque que você quer. Confira abaixo quais são as apostas dos especialistas.

Cimento

Apesar de básico, o cimento, quando bem aplicado, dá um ar moderno ao ambiente, não é mesmo? Esse revestimento pode ser usado na parede e no piso e, se aliado a um bom projeto de iluminação, oferece uma referência industrial e de praticidade. Para dar mais harmonia ao espaço, equilibre tons claros e escuros.

Cobogós

Esse recurso é um clássico brasileiro, usado em peças de concreto, com tons claros ou grafite. Além de formas e desenhos diferenciados, os cobogós permitem uma maior ventilação ao ambiente e favorecem a iluminação natural.

Porcelanato

Essa é uma das tendências mais fortes em revestimento, por garantir resistência e fácil personalização — com aparência de madeira ou mármore, por exemplo. O porcelanato pode ser usado na parede, fachada e calçadas, porém é mais comum no piso.

Durante a aplicação desse revestimento, é importante proteger a pintura das paredes, de preferência com uma lona resistente.

2. Tijolos, madeira e cortiça

A utilização de elementos diversos tem sido uma alternativa para criar um espaço mais harmônico e equilibrado. O acabamento com tijolos à vista, por exemplo, está fazendo tanto sucesso que a aparência serve em outros materiais decorativos que o imitam, como o papel de parede.

Outra opção é a inclusão da madeira, seja em móveis, no piso, em painéis ou mesmo nas peças decorativas. Isso cria um “respiro” no ambiente, contrastando com os aparelhos tecnológicos.

A parede de cortiça é mais uma alternativa. Além do valor estético, ela entrega alta utilidade para residências, pois dá a praticidade de pendurar objetos e fotos que deixam o espaço bastante personalizado com os gostos dos moradores.

3. Iluminação sustentável

Os novos projetos de iluminação seguem o conceito industrial, com tubulação à mostra. Além de bonitos, asseguram economia. As luminárias vêm com traços limpos e minimalistas. Cordões de luz e neon nos quartos também são tendências. A tecnologia mais aplicada no momento é a luz de LED: barata, sustentável e durável.

Uma forma de reduzir os gastos envolvendo energia elétrica é a partir da instalação de sistemas de luminosidade com sensores. Eles ajustam a intensidade da luz artificial conforme a iluminação natural disponível no ambiente.

4. Metais minimalistas

Maçanetas e torneiras estão perdendo o glamour das cores, formas e texturas rebuscadas para dar espaço ao minimalismo. Os metais são usados de maneiras simples, com acabamento cromado.

Mas o que chama atenção é a tecnologia embarcada no processo, pois o item precisa oferecer uma vantagem diferencial para conquistar o cliente, como o controle da vazão de água ou a remoção de agrotóxicos dos alimentos.

5. Cores da moda

A tendência das cores pode ser usada tanto nos revestimentos quanto nos itens decorativos. As clássicas e neutras — cinza, bege e branco — continuam em evidência, mas são as cores fortes que estão conquistando espaço.

A aposta da Pantone para 2017 é a Greenery, um verde com tonalidade entre o menta e o abacate. Usar essa cor em diferentes tons, do limão ao militar, também é uma boa opção. As plantas seguem esse padrão e são bem-vindas na decoração.

O rosa ainda está em alta para quem prefere o estilo romântico. Trabalhe com as suas variações (do rosa-chá ao pink) ou, se preferir, invista no rosa quartzo, eleita cor do ano de 2016.

Ah! E aplicar uma cor forte, como o azul-escuro, amarelo ou vermelho picante, em uma parede, harmonizando com tons mais neutros, é recomendado para quem gosta de ousar na decoração. Outro grande sucesso de cor são as cozinhas total black.

6. Tecnologias para casas inteligentes

As casas inteligentes usam sistemas automatizados para controlar diversos objetos na residência, como lâmpadas, alarmes, eletrodomésticos, cortinas e muito mais. Os recursos incluem tecnologias como o reconhecimento de voz e sensores capazes de detectar movimentos, os quais executam essas funções com pouca ou nenhuma interferência humana.

As casas futurísticas parecem um verdadeiro luxo à primeira vista, mas elas também podem proporcionar mais autonomia para algumas pessoas. Quem vive com mobilidade reduzida, por exemplo, consegue ativar diversos comandos sem precisar se locomover de um cômodo a outro ou depender da ajuda de terceiros.

Além disso, elas otimizam o tempo de quem vive na correria e mal tem espaço na agenda para fazer um café da manhã, pois a cafeteira finaliza essa função sozinha enquanto você se arruma para o trabalho.

Infelizmente, as inovações ainda estão muito além do que a maioria dos brasileiros pode pagar. No entanto, os profissionais da construção civil já devem se preparar para mudanças, pois é só uma questão de tempo até que se popularizem no país.

7. Espaços livres e polivalentes

Uma tendência de reforma que ganhou adeptos nas grandes cidades é o “open space”, que diz respeito aos ambientes bem abertos e com poucas divisórias. Trata-se de uma ótima opção para quem busca otimizar os espaços de imóveis pequenos de um jeito simples e moderno.

Entre as vantagens desse estilo está o incentivo à amplitude das residências e à socialização dos membros da casa. Como existe uma integração entre os cômodos, alguns clientes podem ficar preocupados com a falta de privacidade. Nesse caso, basta usar a criatividade na decoração para contornar o problema, usando estantes, biombos, painéis etc.

8. Estilo industrial em residências

Como o nome sugere, o estilo industrial é inspirado na aparência “inacabada” de instalações como galpões, fábricas e depósitos. A tendência surgiu em Nova Iorque por volta da década de 1960, quando a escassez de moradias em grandes cidades levou as pessoas a se mudarem para espaços abandonados.

Assim, uma das principais características dessa tendência consiste em deixar os componentes estruturais do imóvel à mostra, como tubulações, tijolos e cimento. O metal e a madeira são os materiais de construção que mais se destacam nesse tipo de arquitetura, pois faziam parte dos resíduos abandonados quando as fábricas encerravam suas atividades.

Outra característica marcante do estilo são os espaços amplos sem paredes divisórias, que remetem aos depósitos e armazéns das grandes indústrias. Sua decoração prioriza cores neutras que mantenham a estética minimalista e moderna, mas os tons quentes podem ser adicionados para dar um ar de conforto ao ambiente.

Janelas amplas também remetem ao estilo industrial, sendo úteis para melhorar a iluminação natural no imóvel e, com isso, ajudar na economia de energia elétrica.

Estar atualizado sobre as novidades do mercado é fundamental para criar ambientes modernos e inovadores com reformas de casas. Pesquise e busque referências para ampliar o seu repertório. Isso contribuirá para novas criações e variações de estilos nos seus próximos projetos!

E aí, gostou da nossa lista de tendências para reformas de casas? Então compartilhe este post nas suas redes sociais e mostre que você está em constante atualização sobre o tema!

Você também pode gostar

Deixe um comentário