Por que é importante realizar a higienização após a abertura do silo?

9 minutos para ler

Você escolheu o local de armazenamento, abasteceu e chegou a hora de alimentar o gado com a sua produção. Entretanto, não basta apenas estocar o alimento do rebanho. É preciso que a abertura do silo seja feita de forma cautelosa, para não deteriorar o que está guardado.

Para que o seu trabalho não seja comprometido, elaboramos este artigo que tem como objetivo abordar a importância da higienização do silo após a sua abertura. Entenda aqui quais os cuidados necessários para não prejudicar a alimentação dos animais. Confira!

Qual a importância de escolher o silo correto?

A finalidade da abertura do silo é armazenar e conservar grãos secos, cereais, folhagens e sementes. A estratégia vem sendo bastante utilizada por agricultores que realizam o armazenamento de sua produção, esperando o melhor momento para a venda.

Contudo, a venda não é o único intuito do silo. Quem investe em gado espera que haja uma boa silagem para a engorda dos bois, mantendo o rebanho saudável e gerando economia, já que acaba saindo mais barato que a ração.

É nesses elementos que mora a importância de escolher o silo correto. Nos casos em que o objetivo seja a alimentação dos animais, a silagem tradicional, feita de milho, cana, sorgo ou capins, quando bem produzida, conservada e armazenada, permite que o produtor mantenha uma boa alimentação na época de estiagem, além de um melhor desempenho do rebanho.

Na hora de projetar o silo, a operação de abertura e retirada da silagem deve ser facilitada, considerando o número de bois e vacas que serão alimentados. Para essa finalidade, a melhor opção de construção são as lonas próprias para silagem.

Qual o momento certo para a abertura do silo?

Não há como negar que a silagem é um material frágil e que necessita de cuidados quando exposta a agentes externos para que o seu valor nutritivo não seja perdido, ou cause algum dano aos animais.

A abertura do silo deve ser feita somente 30 dias após o seu fechamento. Considera-se que o processo de fermentação esteja completo após esse período e, consequentemente, a silagem possa ser consumida sem problemas. Caso o tempo de espera não seja respeitado, o alimento pode apodrecer.

Além disso, a silagem deve ser retirada apenas no momento em que for servida, do contrário, a produção perde o valor energético, açúcar e proteína, prejudicando a digestão. A abertura deve ser protegida do sol e da chuva, e a lona só pode ser utilizada para cobrir, e não lacrar o alimento.

A quantidade também precisa ser controlada, respeitando a camada mínima de 20 cm de espessura.

Quais cuidados devem ser tomados?

O básico a ser feito após a abertura do silo é descartar toda e qualquer quantidade que esteja fora do padrão. Mesmo controlando rigorosamente a abertura da lona, a massa pode apresentar alteração na cor, mofo ou mau cheiro, devendo ser jogada fora imediatamente.

Esse procedimento garante que os animais não comam as partes estragadas, ficando livres de uma intoxicação, que pode causar até mesmo a morte. Por isso, conhecer e saber identificar a cor do alimento é fundamental!

A silagem do milho ideal para o consumo deve ser verde clara ou amarelada. A de capim precisa variar entre o verde-escuro e o amarronzado. As de sorgo também devem apresentar um tom próximo ao marrom.

O processo de silagem é químico e se trata de fermentação. Devido a isso, espera-se que onde o preparo tenha ocorrido sem problemas, o alimento apresente um leve odor de vinagre correspondente ao ácido acético. Esse cheiro não pode ser inexistente e nem muito forte. Caso esteja muito presente, o pH pode não estar no ponto ideal.

Mas, atenção: não desanime quando encontrar partes impróprias para o consumo! Você não precisa considerar o alimento descartado para o rebanho como uma porção desperdiçada, nem mesmo quando isso acontece em grandes quantidades. Toda essa massa pode ser incorporada ao solo e utilizada como matéria orgânica.

Como deve ser feita a higienização do silo?

A higienização do silo pode ser feita a partir do controle fitossanitário. Essa medida consiste em um conjunto de ações adotadas pelos agricultores e pecuaristas para evitar a proliferação de pragas e doenças em suas áreas verdes.

Pragas e fungos podem atacar a silagem e fazer com que os grãos sejam perdidos. Em um primeiro momento, pode-se pensar que apenas a aplicação de veneno e outros produtos químicos é capaz de eliminar esses problemas. Porém, simples medidas de higiene costumam ser muito eficientes no combate às epidemias.

A água, aspirador de pó e a vassoura — instrumentos conhecidos dos mais novos aos mais experientes, e presentes no cotidiano de qualquer pessoa que cuide de uma casa —, são capazes de eliminar grãos adoecidos e focos das pragas.

Na realidade, esse processo pode ter início antes do preparo de silagem. Contudo, varrer e aspirar após a abertura do silo facilita o descarte de partes mofadas e intoxicadas.

Quando o controle fitossanitário for realizado antes da silagem, é preciso varrer, aspirar e lavar o local antes da aplicação de pesticidas. Um erro muito comum dos agricultores é utilizar estruturas para preparar esses grãos, mas ignorar os resíduos de armazenamentos anteriores. Muitas vezes eles não são visíveis, contudo, isso não quer dizer que não existam e não possam colocar a produção em risco.

A boa notícia é que essa medida tem um alto impacto de custo inversamente proporcional. Ou seja, é barato, não dá muito trabalho e é fundamental para que os produtos químicos possam agir efetivamente.

Vale destacar ainda que a silagem perdida após a abertura do silo não pode ser reutilizada. Toda e qualquer perda gera custos e, se o produtor não souber como evitar ou remanejar, pode sair no prejuízo. Portanto, fique atento às dicas presentes nesse artigo!

Como usar aditivos para silagem da forma correta?

Os aditivos são produtos adicionados à silagem para melhorar suas características e evitar perdas decorrentes de fermentações indesejadas. Assim, eles podem ser usados para elevar os valores nutricionais da forrageira, estimular fermentações desejadas, reduzir perdas de nutrientes, dentre outros benefícios.

É muito importante ressaltar que os aditivos não substituem os cuidados com a silagem, pelo contrário, eles devem ser incorporados às boas práticas de manejo dos silos e usados conforme propósitos bem definidos. A seguir, falaremos um pouco mais sobre como escolhê-los da forma correta.

Critérios para a escolha dos aditivos

A primeira coisa a se levar em consideração é o custo-benefício associado ao uso dos aditivos. Eles devem promover uma fermentação mais eficiente, que proporcione valores nutritivos superiores aos das silagens sem aditivos. Além disso, precisam ser acessíveis e de fácil aplicação.

Em hipótese alguma deve-se utilizar produtos que deixem resíduos tóxicos na silagem, afinal, isso seria contraditório ao seu propósito de melhorar o desenvolvimento dos animais por meio de uma alimentação mais nutritiva.

Principais tipos de aditivos

Conhecer os tipos de aditivos é fundamental para o sucesso da silagem, pois cada um exerce diferentes funções no processo de fermentação. A seguir, citaremos os mais usados atualmente.

Estimulantes de fermentação

Fazem parte deste grupo os inoculantes com culturas vivas de bactérias que atuam na produção de ácido lático, um componente necessário para a diminuição do pH na forrageira. Eles também evitam a perda de proteínas e melhoram a qualidade das fibras. As bactérias mais usadas são Lactobacillus, Streptococcus e Pediococcus.

Aditivos químicos

São compostos químicos que reduzem o crescimento de organismos aeróbicos, contribuindo para a inibição de fermentações indesejadas. Eles também contribuem para a preservação de nutrientes solúveis e o aumento de proteínas. São exemplos de substâncias desta categoria a ureia, o pirossulfito sódico, o ácido fórmico e o formol.

Aditivos nutrientes

São matérias ricas em nutrientes que aumentam o valor nutritivo da silagem. Alguns funcionam ainda como absorventes que diminuem o índice de umidade na forragem. São exemplos deles o melaço, os farelos e os subprodutos agrícolas, como a polpa cítrica.

Cuidados na aplicação de aditivos

O uso incorreto dos aditivos é a principal causa de resultados insatisfatórios ao final do processo de fermentação. Muitos fazendeiros desconhecem as técnicas adequadas para cada produto e acreditam que apenas aplicá-los nas forragens já é garantia de uma silagem de boa qualidade.

Os aditivos contribuem para a manutenção das propriedades desejáveis na silagem, mas não substituem os demais cuidados de manejo. A eficácia do produto depende principalmente da sua administração nas doses recomendadas e uniformidade da distribuição na massa de forragem.

Os aditivos precisam ser diluídos em água limpa e sem cloro e aplicados de forma homogênea em toda a forragem. A aplicação pode ser tanto manual quanto com o auxílio de máquinas. É muito importante que o pessoal envolvido seja treinado para utilizar as técnicas corretas e tomar as devidas precauções durante o manuseio dos produtos, pois alguns podem oferecer riscos à saúde.

Chegamos ao fim do nosso post! Esperamos que ele tenha sido útil para que você produza uma maior quantidade de alimento de qualidade e tenha menos desperdício na abertura do silo. Como você pôde perceber, cuidados básicos de higiene podem salvar a sua produção e o rebanho, além de auxiliar nas melhorias de desempenho do gado.

A lona correta é fundamental para uma silagem eficiente. Por isso, entre agora mesmo em contato com a Lonax e conheça as soluções que temos para você!

Você também pode gostar

Deixe um comentário