Perfil para hidroponia: saiba quais são e as diferenças entre eles!

7 minutos para ler

A hidroponia — ou seja, a forma de cultivo de plantas que não necessita de terra — é um segmento em grande expansão na agricultura devido às suas inúmeras vantagens. Entre elas estão a produção de alimentos de alta qualidade, a redução no uso de agrotóxicos e a economia de água.

Como o sucesso dessa cultura depende da estrutura onde é feita, é fundamental conhecer os tipos de perfil para hidroponia. Então, preparamos este conteúdo para que você saiba mais sobre o assunto. Acompanhe!

Entenda as vantagens da hidroponia

O cultivo hidropônico estabeleceu-se, no Brasil, na década de 1980 e, desde então, tem conquistado cada vez mais espaço no cenário do agronegócio. Com essa técnica, as plantas são cultivadas sem a utilização de solo e dentro de uma estufa agrícola feita de lona. As raízes ficam em contato com soluções nutritivas, isto é, água enriquecida com os nutrientes essenciais ao desenvolvimento das plantas. A seguir, descubra as suas principais vantagens!

  • Economia de água: a hidroponia pode consumir até 95% menos água que o cultivo tradicional, pois a solução nutritiva é reaproveitada para várias irrigações;
  • aumento da qualidade: como as plantas recebem exatamente os nutrientes necessários ao seu bom desenvolvimento e são cultivadas em estufas, ficando menos suscetíveis a pragas, o produto final tem qualidade elevada e maior valor de mercado;
  • sustentabilidade: essa prática diminui significativamente o uso de recursos naturais ao precisar de menos defensivos, que no cultivo tradicional pode se infiltrar no solo e contaminar lençóis freáticos;
  • aumento da produtividade: ao receber em tempo integral todos os nutrientes necessários, todo o plantio cresce saudável, além de haver o fato de que o cultivo protegido reduz o ciclo de produção e permite plantar mais unidades em um espaço menor que o modelo tradicional.

Descubra como são os sistemas hidropônicos

Basicamente, os sistemas de hidroponia podem ser classificados quanto à movimentação da solução nutritiva e ao retorno do líquido ao reservatório. Desse modo, temos:

  • estático — quando a solução permanece parada no reservatório;
  • dinâmico — há a circulação de água ou de ar para a aeração da solução.

 

O sistema dinâmico é o mais utilizado e pode ser subdividido em:

  • sistema floating — as plantas são colocadas em uma placa na qual há aberturas para que as raízes entrem em contato com a solução, mas a principal desvantagem é a necessidade de grande volume de água;
  • sistema de subirrigação — também utiliza placas, e, nesse caso, as plantas são irrigadas de baixo para cima, cerca de 2 a 3 vezes por dia, dependendo das necessidades da espécie;
  • sistema de gotejamento — a irrigação é feita gota a gota por meio de gotejadores afixados junto à raiz, que são acionados por um temporizador de forma intermitente;
  • sistema de aeroponia — exige maior investimento e utiliza estruturas tubulares verticais, e a solução nutritiva é nebulizada no interior das câmaras, onde ficam as raízes;
  • sistema NFT (Nutrient Film Technique) — é o sistema mais utilizado devido ao manejo fácil e ao custo-benefício, por meio do qual o plantio é feito em canais, os chamados perfis para hidroponia, havendo um fluxo constante da solução nutritiva (no tópico a seguir, você entenderá melhor sobre esse sistema).

Conheça os tipos de perfil para hidroponia

Como mencionamos, o sistema NFT é o mais difundido. Ele necessita de um reservatório para armazenar a solução, de onde o líquido é bombeado para a bancada de cultivo. Nessa estrutura, estão os perfis para hidroponia, que são canais geralmente feitos de PVC (policloreto de vinil), nos quais há aberturas circulares para encaixar a planta.

No interior dessas canaletas, circula uma fina quantidade de solução nutritiva, fornecendo oxigênio e nutrientes às raízes. As bancadas são feitas de modo que um lado recebe a solução enquanto o outro coleta e faz o retorno do líquido ao reservatório. O ideal é que essa estrutura seja plana para permitir que a água seja dividida igualmente entre as plantas e haja melhor absorção do oxigênio.

É fundamental ter bastante atenção com relação ao diâmetro das aberturas. Ele deve ser escolhido de acordo com o estágio da planta e com a espécie de cultura. As mudas devem ser plantadas em um tipo de perfil para hidroponia, cujos furos são pequenos, chamado de berço.

Posteriormente, são transplantadas para o perfil final, cujos buracos têm diâmetro maior. Aberturas muito grandes para mudas ou espécies menores favorecem o crescimento de algas dentro dos canais em virtude da irradiação solar. Por sua vez, quando os furos são pequenos demais para a planta, há o risco de a raiz não alcançar a solução nutritiva, gerando a limitação do crescimento.

O perfil pode ser fixo ou móvel. O desenvolvimento das plantas será o mesmo nos dois. Entretanto, o móvel oferece a otimização do manejo. Note as diferenças a seguir!

Perfil fixo

A circulação de quem realiza o manejo fica comprometida em decorrência da proximidade das bancadas. Para fazer o transplante de mudas, é preciso retirá-las do perfil, colocá-las em um recipiente (normalmente uma caixa de isopor) para, então, transportá-las para o perfil final. Essa prática pode causar danos às raízes que, mesmo quando manejadas com cuidado, sofrem o impacto com o recipiente.

No caso da colheita, é preciso levar os equipamentos até a bancada. Muitas vezes, por causa da falta de espaço, as caixas são colocadas no chão ou mesmo sobre a estrutura. Com isso, pode haver a contaminação da cultura. Além disso, no caso de cultivo em larga escala, o produtor precisa deslocar-se várias vezes, seja para o transporte das mudas do berço ao perfil final, seja para colher a planta e levá-la ao local onde ficará armazenada.

Perfil móvel

Nesse tipo de cultivo hidropônico, há uma estrutura móvel que se desloca entre as bancadas de canais. Assim, o produtor a posiciona exatamente onde precisa. Por exemplo, para a colheita, essa estrutura é colocada próximo à bancada onde estão as plantas com o tamanho ideal. Os perfis são retirados facilmente do suporte e postos na armação.

Em seguida, são levados até um ponto específico, onde estão todos os equipamentos necessários para colher as plantas de forma mais prática. No caso do transplante de mudas, o processo é o mesmo: os berços são retirados das mesas e levados para perto dos perfis finais, onde serão diretamente colocadas.

Desse modo, não há a necessidade de utilizar caixas de isopor, agilizando o procedimento e evitando danos às raízes. Também não haverá riscos de contaminação do cultivo, e o tempo de manejo é reduzido drasticamente pela praticidade que a estrutura móvel oferece.

Portanto, esse é o perfil para hidroponia que oferece mais praticidade e produtividade em sua cultura. Ao utilizá-lo, você otimizará o manejo e, desse modo, garantirá mais qualidade à colheita. Como consequência, terá mais produtos para oferecer e com mais valor agregado, aumentando a lucratividade do seu negócio.

Gostou deste conteúdo sobre hidroponia? Então compartilhe o post nas redes sociais para que mais pessoas conheçam sobre o assunto!

Você também pode gostar

Deixe um comentário