Entenda a importância e como avaliar a qualidade de sementes!

7 minutos para ler

Existem diversos fatores responsáveis pelo sucesso de uma plantação, porém a cadeia produtiva como um todo ainda não percebeu a importância da alta qualidade de sementes para que a eficiência e a sustentabilidade econômica do negócio sejam alcançadas. Entretanto, a busca pela produtividade precisa passar pela seleção rigorosa desse insumo, que é o que garante vigor e desempenho superiores na lavoura.

Apesar da tradição brasileira no setor agrícola e dos avanços tecnológicos que permitiram um salto na produção e na estabilidade das grandes culturas, como soja, milho, arroz e algodão (a exemplo da transgenia), o processo de construção da lavoura ainda é muito negligenciado. Dessa forma, valorizar o papel das sementes impacta positivamente o negócio.

Afinal, quais são as características que asseguram a qualidade de sementes e o que observar na hora de adquiri-las? É sobre isso que falaremos por aqui. Boa leitura!

Os atributos de qualidade de sementes

As sementes de alta qualidade são as que apresentam elevadas taxas de germinação, vigor, sanidade, pureza, uniformidade de forma e tamanho, entre outras características. A seguir, veja mais detalhes sobre elas.

Qualidade genética

Para um lote de sementes ser considerado de alta qualidade genética, ele deve ter pureza varietal (sem mistura de outros cultivares), potencial de produtividade e precocidade. Além disso, as sementes precisam ser resistentes a pragas e doenças, bem como apresentar adaptabilidade às condições adversas do clima e do solo.

Contudo, tenha em mente que esses atributos são influenciados pelo meio ambiente da região de cultivo, que são mais bem observados quando se examina o desenvolvimento das plantas no campo.

Qualidade física

Os atributos físicos de uma semente dizem respeito à condição de o lote estar livre de outras sementes, bem como de materiais inertes (insetos, torrões, fragmentos de plantas e contaminantes, por exemplo). Outros atributos nessa categoria são:

  • pureza física — aponta o grau de contaminação do lote sementeiro;
  • umidade — indica o nível de umidade da semente na ocasião da colheita (o grau ótimo para a comercialização é de 13%);
  • danos mecânicos — comprometem a aparência da semente e a qualidade fisiológica do lote, podendo afetar a germinação;
  • aparência — é um fator importante para a comercialização dos lotes;
  • peso de 1000 sementes — informa o tamanho e o peso da semente;
  • peso volumétrico — indica o peso de um dado volume de sementes.

Qualidade fisiológica

Um lote de sementes com elevada qualidade fisiológica é aquele que tem vigor e alta taxa de germinação, que resultará na emergência adequada do cultivar em campo. Os atributos fisiológicos são os seguintes.

  • Germinação — é o processo que tem início com a absorção de água, passa pela protrusão da raiz primária e culmina com a emergência da plântula. É expressa em porcentagem, sendo que o padrão mínimo exigido pelo MAPA é de 80%.
  • Viabilidade — informa a porcentagem de sementes vivas com capacidade para germinar. Como é um indicador muito semelhante ao da germinação, o teste-padrão de germinação também pode ser utilizado para determinar a viabilidade. Porém, lembre-se de que nem toda semente viável germinará.
  • Vigor — indica o potencial para uma emergência rápida e uniforme, bem como para o adequado desenvolvimento das plântulas em uma ampla variedade de condições de campo.
  • Dormência — diz respeito à capacidade que uma semente tem de não germinar mesmo quando se encontra sob condições favoráveis para isso. Esse processo é uma proteção natural do vegetal para que as suas sementes não germinem ao mesmo tempo, especialmente em condições climáticas adversas.

Qualidade sanitária

Um lote de sementes tem qualidade sanitária elevada quando está livre de fungos, nematoides, insetos, vírus, bactérias e outros patógenos, ou, ainda, quando recebeu tratamento químico que reduz a infestação das sementes.

Além dessas características, é importante observar a tolerância das sementes à dessecação. Isso porque elas que não toleram esse processo e não germinam quando submetidas à hidratação.

As características de deterioração de sementes

Além de saber o que determina a qualidade de sementes, é fundamental que o produtor saiba reconhecer a deterioração desses insumos. Sendo assim, uma semente está deteriorada (ou morta) quando não germina nas condições favoráveis para emitir a radícula.

No geral, a viabilidade dos lotes sementeiros continua alta, mesmo decorrido um tempo relativamente longo. No entanto, à medida que o período de armazenamento avança, começam a surgir os sinais de deterioração, já que as sementes maduras não conseguem manter as suas funções vitais indefinidamente.

Os sintomas mais evidentes são os seguintes:

  • alterações de cor;
  • presença de fungos;
  • redução da taxa de crescimento das plântulas;
  • redução da velocidade de germinação;
  • menor resistência aos estresses do meio durante a germinação e os estágios iniciais de desenvolvimento da plântula;
  • desuniformidade no desenvolvimento das plântulas;
  • desenvolvimento de plantas estéreis;
  • aumento da taxa de plântulas anormais.

Entre os fatores que influenciam a velocidade e a intensidade da deterioração estão:

  • o momento da colheita;
  • a condição inicial das sementes;
  • as condições climáticas na maturação;
  • as injúrias mecânicas;
  • o processo de secagem;
  • o beneficiamento;
  • as condições e o período de armazenamento.

Os cuidados com o armazenamento das sementes

Como você pôde perceber no tópico anterior, alguns fatores que levam à deterioração das sementes dependem das boas práticas de quem as produziu, e não de quem as adquiriu. Aqui, cabe lembrar-se de que é fundamental comprar apenas de fornecedores idôneos, que tenham boa reputação no mercado.

Além disso, tenha em mente que não é vantajoso economizar muito com esses insumos, já que dificilmente preços muito baixos indicam alta qualidade de sementes. No entanto, você também deve ter notado que alguns pontos podem (e devem) receber a atenção do produtor, principalmente no que se refere ao armazenamento dos lotes.

As dicas para melhorar o seu manejo são os seguintes.

  • Controle a temperatura — para a maioria dos grãos, a temperatura ideal gira em torno dos 25 °C. Para a soja e o milho, deve ser inferior a 20 °C. A cada 5 °C a mais na temperatura, a longevidade das sementes cai pela metade.
  • Monitore a umidade do ar — a umidade relativa do ar tem que estar em torno de 45%. Manejando a temperatura e a umidade, a longevidade das sementes pode ser estendida, e, nesse caso, a umidade relativa do ar não deve passar dos 12%.
  • Atente na circulação de ar — os volumes não têm de ser armazenados muito próximos um do outro, e a ventilação precisa ser satisfatória, mas controlada para que o interior do galpão não seja afetado pela umidade externa.
  • Faça limpezas periódicas — a higienização do ambiente precisa ser realizada antes da entrada das sementes e durante todo o período que permanecerem por lá. Remova todos os grãos que caírem no chão, evitando a proliferação de roedores, insetos, fungos etc.

Um dos pilares da construção da lavoura é a alta qualidade de sementes, e, para que o potencial produtivo de uma plantação não seja prejudicado, é fundamental estar atento à aquisição desses insumos, bem como às práticas de armazenamento. Com as dicas que apresentamos aqui, vai ficar mais fácil manter a sua produção saudável.

Nosso artigo foi informativo para você? Então, siga nosso perfil nas redes sociais e acompanhe as nossas publicações de perto! Estamos no Facebook, no Instagram e no LinkedIn.

Você também pode gostar

Deixe um comentário