Confira 4 diferentes tipos de geossintéticos e suas particularidades

3 minutos para ler

Os geossintéticos são produtos industriais fabricados a partir de materiais poliméricos e usados em uma variedade de aplicações na engenharia civil, geotécnica, ambiental e outras áreas afins. Eles foram desenvolvidos para resolver problemas típicos desses setores que comprometem a produtividade no canteiro de obras, além de reduzir seus danos ambientais.

Há diferentes tipos de geossintéticos, com cada um cumprindo funções específicas segundo o projeto em questão. Por isso, é muito importante conhecê-los e escolher o que melhor se encaixa às suas necessidades. Continue a leitura do artigo e conheça as finalidades dos quatro principais modelos!

1. Geomembranas

As geomebranas são mantas sintéticas usadas para cobrir instalações que contenham substâncias líquidas ou sólidas, como tanques, reservatórios, aterros, tubulações, dentre outros. Trata-se de um material impermeável, cuja função é impedir o vazamento de fluidos entre esses sistemas e o meio externo, para evitar perdas e contaminações.

Os tanques para aquicultura consistem em um exemplo comum de aplicação das geomembranas. Afinal, oferecem um meio eficiente de armazenar a água e mantê-la própria para a criação de organismos aquáticos, ao mesmo tempo em que eliminam a migração de seus resíduos poluentes para o ambiente.

2. Geogrelhas

As geogrelhas são malhas em forma de grades vazadas, amplamente empregadas na engenharia civil para reforçar a estabilidade do solo. Elas entregam uma resistência à tração que pode ser uni ou bidirecional, quando ocorre de um ou dois lados, respectivamente.

Suas aberturas existem para permitir a interação entre o material e o solo, de forma que as propriedades de ambas as matérias se combinem. Os diversos benefícios garantem ganho de economia para as obras, pois aumentam a área de solo utilizável e reduzem os custos associados à estabilização de terrenos.

3. Geotêxteis

Geotêxteis são como tecidos ou malhas comuns, mas fabricados com fibras sintéticas que elevam a durabilidade do material. Eles têm permeabilidade, além da capacidade de desempenhar funções vitais como separação, reforço, filtragem, drenagem e controle de erosões. Portanto, aparecem bastante em projetos que dependem da conservação do solo.

Alguns exemplos de suas aplicações são o melhoramento de estradas, estruturas de retenção de terra e até mesmo terrenos para agropecuária, pois o material agrega estabilidade ao solo e previne a degradação.

4. Geocompostos

Os geocompostos são resultados de combinações de geomembranas, geogrelhas e geotêxteis, que ainda podem se encaixar em outros tipos de materiais para criar produtos com características otimizadas. Assim, desempenham todas as funções dos demais geossintéticos e oferecem uma gama de possibilidades para os projetos de engenharia civil.

Eles são muito usados para drenagem quando associados a geotêxteis, mas também servem para reforçar geomembranas em instalações que precisem de barreiras contra líquidos ou gases, dentre outras finalidades.

Há vários tipos de geossintéticos para quem procura versatilidade e eficiência na execução de obras. Além de aumentar o rendimento do trabalho, esses materiais são grandes aliados para uma construção civil mais sustentável, pois reduzem os danos ambientais típicos de suas atividades.

Agora que você já conhece as utilidades dos geossintéticos, compartilhe este artigo nas suas redes sociais e divulgue as vantagens da inovação!

Você também pode gostar

Deixe um comentário