Armazenagem de grãos no silo: conheça os principais cuidados

O produtor rural brasileiro já sabe que a alimentação do gado é uma das práticas de manejo mais importantes da atividade pecuária. A qualidade da carne e dos produtos animais tem relação direta com o estado nutricional em que eles se encontram, e muitas fazendas produzem seus próprios insumos para diminuir as despesas na cadeia produtiva. Entretanto, para gerar economia e garantir a qualidade do alimento, é preciso saber como realizar a armazenagem de grãos no silo.

Mas por que a fase de estocagem nos silos é tão importante para os animais? De que maneira ela influencia diretamente a produtividade e a lucratividade do negócio? Para responder a essas e outras questões, preparamos este artigo para você! Continue conosco e descubra! Boa leitura!

Nutrição do gado e produtividade da fazenda

No Brasil, predomina o sistema extensivo de cultivo, ou seja, o rebanho é criado solto no campo. A variação climática do país e as chuvas estacionais (com longos períodos de seca) são uma das adversidades com que os produtores precisam lidar, pois comprometem a qualidade do pasto. Além disso, a maior parte das nossas forragens apresenta deficiência em algum mineral, fazendo necessária a suplementação alimentar.

A complementação do alimento é uma das estratégias mais eficientes para melhorar a performance dos bovinos, impulsionando todo o seu potencial genético. Essa tática é vantajosa tanto no sentido biológico quanto na questão financeira, uma vez que o produtor não fica à mercê das condições ambientais e consegue controlar plenamente a nutrição do rebanho. Dessa maneira, a qualidade do seu produto não é afetada e não há prejuízos na produção.

Aproximadamente dois terços dos investimentos da fazenda são alimentares. Portanto, é nítida a importância de um bom planejamento e da adoção de boas práticas de manejo de pasto e suplementação por grãos.

Conservação do alimento e saúde do gado

Uma vez entendida a importância da alimentação balanceada para o gado, entra em jogo a administração dos insumos. É fundamental dominar técnicas de plantio e colheita — etapas críticas para a qualidade dos grãos. Por essa razão, muitas fazendas produzem as próprias forrageiras, diminuindo ou extinguindo a necessidade de compras, o que implica em economia.

Após a colheita, se inicia o recurso de armazenar grãos no silo. Nessa fase da produção, ocorre a fermentação — necessária para a manutenção nutricional dos grãos —, e é preciso assegurar as condições adequadas dentro das unidades para que não haja a proliferação de fungos, bactérias, insetos e outros patógenos capazes de provocar enfermidades ao rebanho.

O valor nutritivo da silagem é intimamente relacionado à composição e a quão digestível é a pastagem. O principal objetivo da ensilagem é reter o máximo de nutrientes absorvíveis da forrageira natural na sua forma conservada.

Os diversos tipos de silo

Os silos permitem estocar uma grande quantidade de alimento, e algumas características, como a composição do solo e o clima, são determinantes para a escolha do modelo a ser utilizado. Além disso, cada fazenda tem suas particularidades e demandas que definirão a melhor opção. Vejamos alguns tipos de silo:

Silo de superfície

Construído em cima da superfície, é a opção mais barata por não ter necessidade de escavações e montagem de estruturas. O insumo é amontoado e compactado sobre o solo e coberto com lona plástica presa na terra.

Silo aéreo

Muito utilizado, pode ser de material plástico ou de metal. É muito eficiente, mas necessita de mão de obra especializada devido a sua complexidade de manejo. Também demanda ensiladeiras um pouco mais caras e ventiladores.

Silo trincheira

Esse tipo de estocagem também é uma opção barata, pois é simplesmente aberta uma vala no solo. Após ser preenchido pela matéria-prima compactada, o silo é fechado com lona presa à terra.

Silo cilíndrico de meia encosta

São instalados junto a encostas de morros ou terrenos com declive acentuado. São normalmente construídos com alvenaria e têm cobertura de telhas.

Silo cilíndrico cisterna

São armazéns construídos abaixo do nível do solo e, apesar de serem vantajosos pela facilidade de carregamento e pela possibilidade de serem instalados próximos aos estábulos, estão em desuso por precisarem de mais homens para efetuar o descarregamento.

Silo bolsa

São gigantescos tubos feitos de lonas plásticas para estocar a silagem. São bastante eficientes, uma vez que a forrageira sai diretamente da máquina para o saco, culminando em pouquíssimas perdas.

Silo fardo

São fardos cobertos por plástico, semelhantes aos silos bolsas, mas com dimensões menores, sendo mais facilmente transportados. Não necessitam de maquinário especial para manuseio.

Dicas de armazenagem de grãos

Independentemente do modelo de silo escolhido, é crucial que o processo de armazenagem seja realizado de maneira correta. Quaisquer intercorrências podem afetar consideravelmente a qualidade do volumoso (acarretando, assim, a desnutrição do gado) ou até mesmo levar à perda total da silagem. Vejamos alguns pontos a serem considerados:

Prepare o silo

O primeiro passo é a preparação do armazém, que deve estar completamente preparado para receber o insumo. Os silos devem estar limpos e livres de quaisquer resquícios de insetos e de resíduos da silagem anterior.

Armazene grãos de qualidade

Como já dito anteriormente, as situações de plantio e colheita (sujeitas também às condições climáticas) determinarão as propriedades da silagem. Portanto, é importante saber em que estado se encontram os grãos (se maduros ou não, por exemplo) na hora da colheita.

Adéque a umidade

Para estocagens de longo prazo, é preciso reduzir a umidade dos grãos a tal ponto que se impeça o surgimento e a proliferação de fungos e se diminua a liberação de gases provenientes da decomposição do insumo, que podem provocar acidentes. Entretanto, também se necessita cautela para que o interior do silo não fique excessivamente seco, aumentando os riscos de explosões.

Invista na aeração

A ventilação exaustora dentro dos silos é fundamental para ajustar a temperatura dos grãos, além de garantir a segurança dos trabalhadores por captar partículas da poeira agrícola antes que elas sejam disseminadas no ambiente, elevando os riscos de acidentes.

Ajuste a temperatura

A variação da temperatura dentro dos abrigos surge a partir dos processos de fermentação dos grãos e pode afetar (como em um ciclo) esses mesmos processos. A temperatura está diretamente ligada à umidade dos grãos, ou seja, o aumento da primeira causa também a elevação da segunda, que, por sua vez, pode gerar focos de patógenos, deteriorando os cereais.

Além disso, as condições climáticas também influenciam o interior dos silos, principalmente os metálicos, que estão mais sujeitos ao frio ou calor excessivo.

Verifique a silagem com frequência

Mesmo que o insumo permaneça estocado por muito tempo, é recomendado que o silo seja verificado semanalmente ou de acordo com as demandas da fazenda. Além de a averiguação constante assegurar o controle de todos os itens mencionados, ela é imprescindível, pois a silagem é sinônimo de capital para o produtor e deve ser tratada com extrema seriedade.

Uma fazenda lucrativa é aquela cuja cadeia de produção tem todos os elos funcionando harmoniosamente e em conjunto. Falhas em qualquer uma das etapas são cumulativas e geram implicações na qualidade do produto e na rentabilidade do negócio. Seguindo piamente os protocolos planejados, a propriedade atingirá o êxito.

Nosso conteúdo sobre armazenagem de grãos no silo foi útil para você? Quer se aprofundar mais no assunto? Então leia nosso artigo sobre tipos de silos e se informe!

Siga nossas redes Sociais

Confira Também

Design com alma brasileira

A Lider Interiores é uma empresa brasileira do ramo moveleiro, fundada em 1945 por João da Mata Nogueira na cidade de Carmo do Cajuru, Minas

Abrir bate-papo
Fale com a gente!