5 tipos de adubos orgânicos para usar nos cultivos

Quem lida com a terra sabe da importância de repor os nutrientes no solo, principalmente em sistemas cujo ciclo produtivo não permite que a reposição ocorra de forma natural. Os adubos orgânicos podem ser utilizados em qualquer escala e trazem benefícios em médio e longo prazos para todos os tipos de culturas.

A aplicação de adubos orgânicos tem como objetivo fertilizar o solo, tornando as suas características físicas, químicas e biológicas ideais para o pleno desenvolvimento dos vegetais. Além disso, quando bem manejados, aceleram o crescimento das plantas e aumentam a produtividade da lavoura.

Afinal, em que eles diferem dos adubos inorgânicos? E quais são os tipos de adubos orgânicos para aplicar nos cultivares? É sobre isso que falaremos por aqui. Continue conosco e entenda!

Qual é a diferença entre adubo orgânico e inorgânico?

A principal diferença entre esses dois tipos de fertilizantes é que o adubo orgânico se origina da matéria orgânica — ou seja, da matéria-prima oriunda de resíduos animais e vegetais —, enquanto o inorgânico é obtido por meio da extração de minerais. Ambos são vantajosos para os cultivos e indispensáveis para o bom desenvolvimento da lavoura. Cabe ao agrônomo avaliar o que melhor se adéqua a cada caso.

Contudo, a composição de cada um faz com que o solo e os cultivares respondam de maneiras diferentes à fertilização, especialmente no decorrer do tempo. Os adubos inorgânicos (também chamados de fertilizantes químicos) é uma mistura de sais dos macro e micronutrientes que as plantas necessitam para se desenvolver.

Há duas grandes vantagens em usar esse tipo de adubo. Uma é que é possível saber com maior precisão a quantidade de cada nutriente aplicado no solo, e a outra é que eles têm uma ação imediata. Porém, um dos riscos que se corre ao utilizar adubo inorgânico é exagerar na dose, danificando o cultivo.

Além disso, o uso prolongado de fertilizantes químicos empobrece o solo, reduz a presença de microrganismos e pode afetar drasticamente a composição química do substrato, causando desastres ambientais. A poluição de mananciais e lençóis freáticos também é consequência da aplicação excessiva e estendida.

Por outro lado, os adubos orgânicos são naturais, e seu processo de decomposição enriquece o solo, pois estimula a proliferação da microbiota benéfica para o ecossistema. Ademais, esse tipo de fertilizante age recuperando o solo, tornando-o mais leve, aerado e drenado — aumentando a capacidade de o substrato reter água e potencializando o desenvolvimento saudável das raízes.

Os vegetais crescem com vigor e maior resistência a doenças e ao ataque de pragas. Mesmo que tenham ação mais lenta, os fertilizantes orgânicos apresentam efeitos mais duradouros, o que leva a uma maior eficiência econômica na lavoura, já que o produtor não precisará arcar com custos da recuperação do solo.

Quais são os tipos de adubos orgânicos?

Existem muitas formas de adubar organicamente a terra. Aliás, uma das grandes vantagens desse fertilizante é que o produtor pode compô-lo com o que tem disponível em sua propriedade. A seguir, veja os tipos mais comuns de adubos orgânicos.

Ebook LonaxPowered by Rock Convert

1. Compostagem

Uma das maneiras mais comuns de enriquecer o solo é fazer a reciclagem do lixo orgânico. Toda e qualquer sobra de matéria orgânica pode ser aproveitada: restos de alimentos não cozidos, cascas e talos de vegetais, bagaço de cana-de-açúcar, palhadas etc.

Como todo composto de origem vegetal ou animal, essas sobras devem passar pelo processo de decomposição antes de serem aplicadas no solo. Isso faz com que toda a variedade de nutrientes fique disponível para ser absorvida e não provocar alterações na microbiota do solo.

2. Húmus de minhocas

O húmus de minhoca é um dos melhores e mais conhecidos adubos orgânicos. A matéria orgânica originada da ação e da digestão desses organismos mantém o solo constantemente fértil. Além disso, a presença de minhocas na lavoura é extremamente benéfica, já que o seu deslocamento cria túneis, aumentando a aeração do solo e a retenção de água no substrato.

3. Esterco de herbívoros e outros animais

Também bastante tradicional, o esterco de animais é amplamente utilizado em lavouras. Feitos com dejetos de aves, suínos e bovinos, esses compostos também precisam passar por uma compostagem prévia, já que existe o risco de contaminação por agentes patogênicos presentes nas fezes.

Outros resíduos animais também constituem uma excelente fonte de nutrientes. É o caso, por exemplo, dos dejetos de crustáceos e peixes provenientes da aquicultura e da piscicultura.

4. Cinzas de madeira

As cinzas de madeira são outro tipo de adubo orgânico muito utilizado por produtores rurais. Além de serem uma ótima fonte de macro e micronutrientes, são bastante aplicadas para aumentar a resistência dos cultivos, principalmente ao ataque de pragas. É preciso ter cuidado apenas para não utilizar madeira tratada nem pintada.

5. Adubação verde

A chamada adubação verde consiste, na verdade, no consórcio de culturas. Isso nada mais é que plantar duas ou mais espécies de cultivares no mesmo local e na mesma época. As conhecidas plantas companheiras são extremamente benéficas, pois fixam nitrogênio no solo, auxiliando o pleno desenvolvimento de todo o ecossistema.

Essas espécies normalmente são leguminosas (um exemplo mais comum é o consórcio de milho com feijão) e proporcionam uma série de vantagens ao produtor, além da própria fertilização do substrato. Elas ajudam no controle de ervas daninhas e mantêm uma excelente cobertura viva e morta do solo. O plantio de leguminosas está associado à recuperação de solos pobres e desgastados pela monocultura prolongada.

Como você pôde perceber, além de todos os benefícios que citamos no início do texto, o uso de adubos orgânicos está alinhado a uma agricultura sustentável, já que a resistência e a saúde dos cultivares reduz consideravelmente a necessidade de aplicar agrotóxicos na lavoura. Essa medida melhora a qualidade de vida de quem produz e, também, de quem consome os alimentos.

Independentemente do tamanho da propriedade e da escala de produção, os produtores rurais encontram diversas vantagens no uso de adubos orgânicos. Além de ser um investimento de melhorias de médio e longo prazos, os itens de origem orgânica têm uma procura cada vez maior no mercado, o que evidencia uma ótima oportunidade para o negócio.

Nosso artigo foi informativo para você? Então, compartilhe o post nas suas redes sociais e dissemine esse conhecimento entre os seus contatos!

Siga nossas redes Sociais

Confira Também

Design com alma brasileira

A Lider Interiores é uma empresa brasileira do ramo moveleiro, fundada em 1945 por João da Mata Nogueira na cidade de Carmo do Cajuru, Minas

Abrir bate-papo
Fale com a gente!